segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Frio !

Frio maldito este que me recorda de quem já cá não anda, o quanto calor te dei eu!
Quero o outro frio, o frio seco do norte, quero a fogueira e o abrigo, a lua e as estrelas e ao fundo o uivar dos lobos.
Quero-me debruçar no leito do rio em noite de lua cheia e ver o verdadeiro eu refletido na água, sem amarras, solto onde pertenço.
Sou animal sem luz, sou rei e senhor deste reino de pedra, desalmado e queimado, onde os mortos segredam ao ouvido o que não disseram em vida, e os vivos,esses, perdem-se nestes olhos, janelas para um abismo infinito de loucura e angústia a que chamo de minha alma !

5 comentários:

  1. Demasiado intenso, demasiado tu.
    Demasiado dor. Demasiado maldição... pena que te amaldiçoes mais a ti!
    O pior frio é mesmo o interior que ninguém aquece. Nem nada aquece. Nem mesmo aquele banho de água que escalda, que quase se não suporta. És terra. À natureza pertences, porque natureza és. E ela sente-te, entra em ti e de ti brota, conhece-te e compreende-te. Acolhe-te, protege-te e ampara-te. E só outro ser que seja, também ele, natureza, te devolverá o calor desperdiçado... E esses olhos deixarão de ser "janelas para um abismo infinito de loucura", para darem lugar aos espelhos da alma que estão adormecidos.. e terás o teu frio do norte, a fogueira e o abrigo. E o teu próprio porto seguro. Porque esse frio passa... depois do degelo. Só precisas deixar o sol entrar!


    Beijo!

    Cel.


    P.S. Escrito com a alma que dizes não ter, com a clareza de quem tem o cérebro bem organizado e não é tão abismo assim... E com aquela sensibilidade, aquela, sabes?! A essencial para quem escreve, para quem transmite algo com essência, para quem se dá. A sensibilidade de quem sente.
    De excelente qualidade!
    Brilliant!

    ResponderEliminar
  2. Desejo-te um feliz Natal, junto de quem mais amas e estimas. Tudo de bom!
    Beijinhos *

    ResponderEliminar
  3. Obrigado a ambas pelos comentários :)

    ResponderEliminar
  4. e mesmo como a cel diz, eu compreendo o teu frio e o desejo de te encontrares, mas e como aquela musica que me mostraste...raw power, foi o que lhe chamaste, e nela tens todas as notas para criar uma perfeita harmonia...para a moldares a ti...o nosso coração e a nossa alma n escolhem...a escuridão e o frio que nos percorre torna-se fisico no limiar, eu sei, mas como tu, eu tb desejei muito soltar as amarras e perder-me no ceu estrelado, que tao bem conheci um dia e onde eu sempre fui eu...mas a cel tem razão...no meuio desse caos que falas, saem as palavras de uma mente unica, brilhante...a tua... "para uma estrela ser a mais brilhante tenha de ter dentro de si um caos" :)

    ResponderEliminar
  5. Obrigada "Fallenmistress of the Night" por me ter entendido...
    Obrigada mesmo!

    Cel.

    ResponderEliminar